A pedagogia do oprimido na formação de Empreend.

Nesta segunda feira ocorreu o TEDxRIO. O TED é um evento independente cujo lema é “ideias que valem espalhar”, auto-organizado para juntar pessoas e compartilhar experiências.
Assim, durante o ano é realizado em várias cidades e países como ocorreu no dia 14.02 no Rio de Janeiro sob o tema “Leve com você”.
Palestrantes como o economista Armínio Fraga, Ricardo Guimarães, Educador José Pacheco, Sec. Municipal de Conservação e Serv. Públicos (RJ) Carlos Osório, Hélder Araújo, Juíza Thelma Fraga e etc inspiraram a platéia e os internautas que acompanhavam ao vivo.

O maior foco foi à preparação do RJ para o futuro, porém, o calcanhar de aquiles foi a “Alienação Educacional imposta as pessoas, alunos,profissionais e empreendedores”. Mas como assim?

O que tem em comum estas pessoas: Steve Jobs, Bill Gates, Michael Dell, Julian Assange?
Não possuem diploma universitário.
Enquanto outros estavam aprendendo conhecimentos padronizados estes estavam descobrindo novos conhecimentos e transformando-os em ações.

“O sistema educacional escolhe disciplinas para capacitar as pessoas e não para formar pessoas mais felizes.” Hélder Araújo.

Veja bem, aqui não se trata de um desestímulo ao estudo tão pouco ao não ingresso a escola e a universidade. A crítica refere-se ao modelo mental educacional padronizado aplicado de forma errada nas pessoas.

Paulo Freire foi um filósofo e educador brasileiro que desenvolveu um tipo de aprendizagem que ficou conhecida como Método Paulo Freire. Esta metodologia foi testada em 300 cortadores de cana analfabetos em Angico (Rio Grande do Norte) e em apenas 45 dias com 40 horas de aulas sem cartilhas de alfabetização foram alfabetizados.

Este método consiste no sujeito como transformador dentro da sua própria realidade.

Pois bem, para o Brasil formar novos e bons empreendedores, e isso não significa apenas empresários, mas profissionais completos e preparados com este espírito e visão inclusive na área pública capazes de criar, inovar e modificar necessita-se de um choque educacional na sua formação.

Não adianta depositar e impor conteúdos nas cabeças humanas, fórmulas prontas e fazer a pessoa decorar e repetir os mesmos. É mais do mesmo!
Deve-se permitir o auto-descobrimento provocando o pensamento crítico com base também na própria realidade social, cultural e pessoal e estimular assim o desenvolvimento de novos conhecimentos.

O maior aprendizado é a experiência compartilhada e o exercício do diálogo. Quem é bom, guarda seus conhecimentos com os outros.

O empreendedorismo criativo e transformador não nasce apenas de uma necessidade, idéia ou vontade espontânea, mas de um novo conhecimento descoberto também.

A internet hoje é a maior ferramenta para a anarquia educacional. Você tem através dela possibilidades de obter qualquer conteúdo, conhecimento e trocar experiências momentâneas com qualquer pessoa e em qualquer lugar do mundo. Não se tem desculpas hoje para não se auto-capacitar e aprender.

Para isso não oprima sua cabeça. Leia vários assuntos e temas. Não se limite nos estudos da sua atuação profissional, permita-se conhecer outros e novos.
Graduação, Pós, Mestrado e Doutorado na mesma matéria vira limitação, seja ousado de expandir as fronteiras. Por que um Bacharel em Marketing não pode fazer Pós em Filosofia?

Enfim, pense e aja com o papel de mudar o mundo. E mudá-lo exigirá automaticamente que você empreenda novas e o novo.

Maurílio Santos Jr

Compartilhe