O senso de urgência e a quebra da cadeia de valor

Com qual fornecedor ou profissional já não aconteceu situações deste tipo?

O cliente contata o (fornecedor) e lhe entrega um briefing complexo no dia e deseja um projeto e orçamento em 48 horas tendo como cronograma iniciar as atividades em até 5 dias.
Além do mais o motiva que esta é uma oportunidade onde os consumidores do produto precisam ser surpreendidos e para isso, precisam urgentemente mostrar e aprovar com a diretoria.
Já possuem um timing acordado com vendas.

Então o fornecedor mobiliza toda sua equipe, viram a madrugada e entregam a proposta ao cliente no timing solicitado.

O resultado deste esforço é que não retornam para dar o feedback positivo ou negativo, não atendem os telefonemas, e deixam-o até 40 minutos na recepção esperando e depois de 30 dias mandam um email dizendo que infelizmente ele não foi aprovado mas gostaram muito do seu trabalho e lhe passarão mais briefings pela frente durante o ano!

Pombas, que falta de profissionalismo, educação e gentileza é essa?
Acham mesmo que têem o direito de fazer o fornecedor perder o seu tempo, não darem resposta e ainda mais tratá-lo como um mendigo?

Quando você vai ao departamento de compras eles lhe dão dezenas de cartilhas lindas sobre as políticas comerciais e de fornecimento da empresa onde se sentem orgulhosos de não aceitarem mão de obra infantil, danos a natureza, irresponsabilidade social, racismo e etc…

De nada disso serve se a má gestão interna e falta de comprometimento com o valor da cadeia não for respeitada.

Consumidor – Cliente – Fornecedor – Insumos

São uma cadeia direta de valores. Todos devem ser respeitados e tratados com ética e profissionalismo.
Uma cadeia saudável tende muito mais a somar do que trabalhar por obrigação do dinheiro.

Minha sugestão é que Supply Chain ou os Departamentos de Compras instituem regras básicas para a empresa para o tratamento com todos os fornecedores direto ou indiretamente da cadeia. E assim criem um tipo de Ouvidoria da empresa, onde o fornecedor possa reclamar de determinadas situações.

Esse modo não significa “fazer a cama” de nenhum funcionário, mas sim, dinamizar a cadeia de valores entre ambos, pois ambos dependem um do outro. Isso se chama respeito e profissionalismo!

Maurílio Santos Jr

Compartilhe