CiCi 2011 – Cidades Inovadoras Parte III (19.05)

Ted a-Like

Colméia – Ideias em cooperação
Rafael Reinehr

A Colméia são oficinas de criação de autonomia.
O objetivo é capacitar comunidades de modo a empoderar o indivíduo.
Estamos vivendo a nova economia, ou seja, negócios que façam o bem comum.

A escola necessária
Denise Vilardo

O aluno não gosta da obrigação de estudar. Os pais escolhem as escolas pela infraestrutura e não pelo material pedagógico.
A tecnologia necessária é um quadro negro e um giz. A tecnologia tem o objetivo de eliminar as tarefas repetitivas, mas a modernidade é fazer mais do mesmo? Pra quê uma lousa digital?
Isso melhora a educação?

Considerações:
• Subjetividade – Pessoas que emocionam e pensam.
• Identidades – Cultura, contexto e localização
• Experiências

Localização
• Novas organizações do saber
• Superação da cultura do silêncio
• Possibilidades criativas e inovadoras da web

Possibilitando
• Compartilhamento dos saberes

Cases de sucesso nas mídias sociais
Almir Neves

As mídias sociais deram o direito de voz às pessoas. Uma coisa podemos afirmar hoje, o consumidor tem vez e voz.
As empresas não sabem escutar.
Elas comunicam mas não sabem dialogar.
Case Brastemp.


Identificando desafios e perspectivas para o desenvolvimento municipal

Juares Costa (Pref. Sinop/MT)

Sinop é a 7ª cidade que mais cresce no Brasil afirmado pela revista Veja.
Seu planejamento foi feito de modo participativo onde foram ouvidas 30.000 pessoas.
Ela está focada hoje no conhecimento, fruto disso é o conglomerado de universidades estaduais e federais na cidade.
Fez um benchmarking com a Cidade de Maringá.
Houve um alto investimento no desenvolvimento econômico, saúde e sustentabilidade.

Roberto Eduardo Sobrinho (Pref. Porto Velho/RO)

Porto Velho nasceu do ciclo da borracha e rio madeira.
O extrativismo/exploração apenas deixou a cidade com diversos problemas sociais.
O PAC vai investir em energia elétrica (30 bi) e isso vai gerar 30.000 empregos.
Um dos principais desafios é assegurar o desenvolvimento com inclusão social, garantir este pleito.
Não repetir o passado. A cidade hoje vive uma reforma com as pessoas dentro.

Explorando lições aprendidas e conhecendo modelos de sucesso para o desenvolvimento das cidades
Márcia Casseb

O BID e as cidades.
O conceito do banco é se a cidade está bem, ela promove a prosperidade e a economia mais rápida.
O banco atua nas cidades de médio porte e aplica sua plataforma nas cidades escolhidas.
Participam já Maringá, Curitiba e outras e agora foi escolhida Goiânia.
O trabalho também consiste em preparar a cidade para a sustentabilidade.
A plataforma do BID orienta, financia, mensura e faz o pós.
Para contrair o empréstimo do banco o governo federal tem que ser o fiador, então uma das regras do governo brasileiro é que apenas cidades com mais de 100.000 habitantes possam participar.

Soluções Inovadoras para o desenvolvimento das cidades
Krzystof Buczkowski (Plock – Polônia)

A cidade de Plock era uma cidade de um país comunista até 20 anos atrás.
A partir de 1960 teve um crescimento rápido e a poluição gerada pelas fábricas foi o pior fator.
Com este crescimento e sendo uma cidade de oportunidade apenas para trabalhar, um dos problemas foi a falta de senso de pertencer dos habitantes.
Outro ponto também é que empresas comunistas não são competitivas.

Estratégia para tratar os desafios
• Desenvolvimento em infraestrutura
• Digital Plock
• Desenvolvimento do Capital Humano
Para a solução do desemprego fora convidado uma indústria petrolífera para a cidade.
Houve investimento em cultura e aplicação do governo 2.0
A cooperação internacional tem ajudado.

Por ser uma sociedade homogênea culturalmente a falta de mesclagem limita os avanços.
Cifal tem ajudado e o Fórum de Plock onde se discute até 2022 a sustentabilidade e o desenvolvimento.

Gonzalo Guier (Município de Tigre/Argentina)

Tigre é uma cidade digital. Foi construída uma rede metropolitana para o município afim de, garantir os direitos e liberdade aos cidadãos.
Os mecanismos digitais apoderam as pessoas contra a irregularidade.
O sistema web da prefeitura possibilita o cidadão criar uma ordem de serviço, passa ao funcionário e chega até a mesa do prefeito.
As escolas foram equipadas com netbook.
A cidade possui WIFI gratuito em parques e outros locais de forma gratuita.
Também colocado serviços de bairro.
A cidade está em todas as mídias sociais.
Uma das importâncias da internet é possibilitar o pagamento de despesas pela internet e são monitoradas pela prefeitura.

M. Stuiver (Waigenenger /Holanda)

Cidade focada em ciência da vida. Verde e cheia de vida.

Paradigmas
• Agro industrial
• Conseguir soluções para alimentos verdes

Territorial
Transformar o global em regional

Cooperação ou Davi e Golias?

Arranjos educativos locais: rodas de conversas sobre a experiência em AELS
José Fares
Augusto de Franco
Tião Rocha
José Pacheco
Fernando Guggenberger
Ana Beatriz Goulart

Tião Rocha
Elaborou os não objetivos de uma escola onde mapeou tudo o que uma criança não gosta e concluiu que a aprendizagem é sem escola.
Educação só existe no plural.
Foi premiado com o conceito pedagogia da roda. Rodas de prosa.
Assim foi o idealizador da Escola no Pé de Manga.
A escola de hoje é um quartel general ou uma fábrica fordista com horários, regras e definições.
Se você criar ambientes qualquer coisa pode ser aprendida.
Hoje se tem a metodologia do Jack Stripador “Vamos por partes”.
A pedagogia é gerada pela convivência e não imposições didáticas.
Se fala de redes, mas uma rede não tem causa, mas sim interesses.
A carta da Terra é a melhor metodologia, pois estamos de favor nela.

Experiência no Vale do Jequitinhonha. Ações:
A cidade consegue transformar com as conscientizações:
1. Empoderar para mudar ou Nóis pode tudo
2. Meu lugar é aqui (senso de pertencer)

“Sonho é que um dia a cultura do Brasil seja a matéria-prima de transformação do Brasil”.
Como uma escola de samba – Feita de CAUSAS.

José Pacheco (Escola da Ponte)
Criou a aprendizagem sem escola em Portugal.
Sua escola não tem professores, diretoria e metodologia.
A comunidade aprende na troca de experiências.


Redes como padrão unificador de vidas

Fritjov Capra

O que é sustentável é toda a teia da vida.
Uma cidade deve ser projetada sem interferências na natureza. O mundo material é uma rede interligada.
Nós hoje encontramos a mudança do homem da máquina para uma rede.
A rede também é um organismo biológico. Toda vez que vemos vida, vemos redes.
As estruturas materiais produzidas pelas redes sociais são diferentes das redes celulares, pois tem um projeto e interesses.
Através da cultura montamos uma comunidade. Cada comunidade tem uma maneira de ser.
As redes sociais possuem um corpo de conhecimento compartilhado.
As redes são modelos de relacionamento e conhecimento.
A ecologia está ligada a rede, e esta começam em casa.

Todas as propriedades da vida precisam de relacionamento. É um pensamento sistêmico contextualizado.
Os sistemas não são lineares. Para entender a teia da vida tem que aumentar a relação da biologia e ecologia.
Nossa sobrevivência vai depender da ecologia.
Vai ser a principal matéria escolar e trabalho. A terra sustenta a vida e as comunidades.
Então percebe se que a sustentabilidade funciona em redes e comunidades.
Por isso uma cidade sustentável não pode ser feita separada ou isolada.

Tudo está interconectado. Parte do crescimento populacional e pobreza têm levado a destruição da natureza.
Precisamos de uma estratégia para salvar o mundo.
Arquitetura verde é a tendência do mundo. Jaime Lerner é o pioneiro nisso.
Precisamos de vontade política e liderança para acontecer a sustentabilidade.

“Você acha a felicidade no relacionamento e isso é gratuito”.

Compartilhe