A lição do Barcelona para as empresas

O que o Case do Clube de Futebol Espanhol Barcelona pode ensinar as empresas ? Resposta: A estratégia de conexão de colaboração.
O modelo hierárquico piramidal de organograma, ou seja, centralização e clusters já é algo do passado e ineficaz.

A centralização só demonstra que depender de um colaborador sendo gestor, diretor ou outro só prejudica o coletivo.
Você desperdiça o conhecimento, energia e novas possibilidades de co-criação do coletivo.

Como diz a música “Ado, Ado cada um no seu quadrado”.
Grupos fechados, quadrados, barreiras, clusters e demais ambientes são concentradores de consciências, conhecimento e liberdade. Um molde de mente humana. Limitador.

Sem interações deixa-se de produzir mais “verdades”, inovações, experiências e soluções.

O jogo do século Barcelona x Santos provou no esporte que a rede de conexão colaborativa livre é o modelo vencedor.
O esquema tático do Barça foi 3-7-1 girando e do Santos 3-5-2

Isso significa que o Santos dependia apenas do Neymar e Borges (atacantes) enquanto no Barça do meio de campo pra frente qualquer jogador com oportunidade poderia fazer um gol, como ocorreu. Vide imagem acima.

Uma empresa é uma Rede Social de Pessoas, onde a produção depende do trabalho de cada colaborador. Todos estão conectados.

Apesar de cada um exercer uma função específica, ele pode e tem por natureza humana poder e condições de interagir em outros ambientes e co-criar desde que tenha essa liberdade.

O futuro são empresas em redes e não empresas hierárquicas.

Vai demorar um pouco ainda concluir esta realidade, afinal, quem “poderoso” vai querer abdicar do seu “domínio” sobre os “dominados” ou deixar o “status” de fodástico para um animador de conexão?

Compartilhe