A polinização de ideias

Há algum tempo venho aperfeiçoando, conhecendo e escrevendo sobre esta nova transição de sociedade, ou seja, uma sociedade em rede conectada.

A amada Cora Coralina diz o seguinte: “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”.

Isso significa que o conhecimento é uma troca de experiências.
Experiência é algo individual por isso não podemos afirmar que o professor ensina e o aluno aprende. A troca faz os dois aprenderem e reaprenderem com o outro.
Quanto maior a interação e conexão entre as pessoas “trocando” maior será os resultados e inovações.

Isso reflete também no ambiente empresarial.
A hierarquia muitas vezes organiza o modelo antigo, o chefe manda e o subordinado obedece. “Professor e o Aluno”, quando na verdade todos são alunos.

Em uma rede não há fronteiras. Todos são aprendizes.

Empresa dos anos 60-90
Layouts de trabalhos em baias com a justificativa de concentração melhor; gaveteiros em L; gerentes com salas separadas, cadeiras e telefones diferenciados dos subordinados;
Reuniões de portas fechadas.

Esse é modelo da separação de poder e fronteiras de ideias e pessoas. Equipes dentro de caixas.
Como pode existir conectividade em zonas de trincheiras ?

Empresa do século XXI
Vão livre, sem paredes, sem mesas em “L” para facilitação da interação entre os colaboradores. Sem andar fixos, mas ambiente livres para pessoas livres produzirem livremente.
Coworking, crowdsourcing, crowdbuy, crowdfunding…
iPad, Palm, Notebook, Facebook, blog, msn etc…todos conectados!
Reuniões abertas.
As informações transparentes rolando.

A interação entre pessoas gera polinização de ideias.

A tradução de polinização é o ato de transferência de células reprodutivas no reino vegetal.

Interaja com todas as áreas, pessoas, cadeiras, conhecimentos…
Não se reprima!
“Parpite”, envolva-se, opine, contribua. CONECTE-SE!

Não resista! Polinize-se!

Compartilhe