E=mc² … As lições de Albert Einstein

Cientista? Empreendedor? Professor? Educador? GÊNIO!

Albert Einstein é um tipo daquelas pessoas que nascem de tempos em tempos…
Foi pobre; taxado como um “cão preguiçoso” pelo seu professor; funcionário público (assistente de patentes); desacreditado; acreditado; enfim…um ser humano “qualquer” se não fosse sua visão, dedicação, persistência e genialidade!
Fora a física e toda ciência, ele nos deixou grandes lições aplicáveis no mundo empresarial e profissional.

Primeiro, como pensava Einstein?
Ele sempre pensava em imagens, visualizava as coisas!
Ele dizia “Se em uma teoria uma criança não for capaz de imaginá-la, é por que ela não é boa.”
Que baita termômetro eihn?

Quando seu pai lhe deu uma bússola ele ficou olhando aquilo noites e noites a agulha apontando o norte. Ele disse que ficava com arrepios.

Sua diferença para os outros físicos era que ele começava primeiro pela imaginação (ideação/curiosidade) tentando “conhecer a mente de Deus” através da matemática e depois desenvolvia o cálculo em cima disso comparando com as teorias já existentes.

“A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro.”

O Arquiteto e Urbanista Jaime Lerner diz que a inovação começa pelo óbvio.
Ele buscava resumir o mundo em apenas uma equação!
Quer maior coach para a Inovação, desenvolvimento de produto, Criatividade e Empreendedorismo que este?
Resumir seu universo em apenas uma equação simples ?

Segundo, como Einstein se comportava no trabalho?
Ele não conseguia emprego fixo e tão pouco um emprego de professor-assistente nas Universidades. Nem seu pai enviando uma carta pedido ao um grande professor famoso adiantou. Ele chegou até a escrever uma carta aos seus pais dizendo que era melhor ele não ter nascido. Seu pai morreu acreditando nisso. Até que um amigo lhe conseguiu um emprego de subalterno (assistente de patentes) no Instituto Suiço de Patentes. Ele passava os 6 dias da semana analisando pedidos de patentes de inventos ao Governo Suiço.
Para analisar, ele tinha de sintetizar as muitas informações disponíveis a sua essência, isso despertou nele suas habilidades de físico.
E trouxe isso para o seu universo da física.
Análises e universo! Como trazemos e manipulamos as informações para o nosso universo ? Este universo intelectual que só nós podemos desvendar e a partir daí, produzir variáveis de conclusões e soluções.

Terceiro: Qual era o segredo da sua habilidade?
Paixão pela física. Passava horas fazendo cálculos, experimentos, viajava por dias deixando a família e filhos sozinho sem sentir culpa.

Quarto: Como lidava com os seus objetivos?
Detestava a complacência e o conformismo quando achava a resposta como uma única verdade. Quando descobriu a Teoria da Relatividade (E= mc²) e foi taxado como o “Ano do Milagre” e “Gênio” ele procurou criticar a fórmula e olhar por outros prismas. Daí derivou a Teoria Especial da Relatividade com a crítica do por que só na velocidade constante? A partir daí, incrementou a gravidade defendendo a Teoria Geral da Relatividade contrariando Isaac Newton derrubando 2 séculos de física teórica.

Quinto: Desafio Pessoal
Quando concluiu e acreditou que a Teoria da Força da Gravidade de Newton estava errada, decidiu provar sua Teoria.
Max Plank maior conhecedor da época lhe disse: “Você não terá êxito. É complicado demais! E se tiver ninguém vai acreditar.”
A mais de 4 anos perseguiu o seu objetivo. Ele sabia que estava certo e iria prová-lo.
Exercitando seu pensamento imaginário, olhando para um prédio imaginou um homem em queda livre e teve a maior ideia de todas da sua vida. Na queda o homem não sente o seu peso e não o tem; idem no elevador.
Eureka! Achou a justificativa da sua teoria. Não existe força da gravidade, a Terra curvou o espaço, ou seja, o próprio espaço pode ser curvado. O Espaço tempo é flexível. Ajustável.
Os mistérios do universo perturbavam Einstein!
O que nos perturba? Nos tira o sono? Exige de nós um esforço a mais?
Perturbar a mente é a chama do desafio pessoal.

Sexto: A volta por cima e a humildade
Com a descoberta da Teoria Geral da Relatividade começou a ser chamado para palestrar mundo a fora. Mas sempre mantinha seu jeito brincalhão com todos sem distinção de cargos e salários e seu jeito desleixado de se vestir.

Sétimo: Família
Einstein se separou da sua primeira esposa. Amava seus filhos, tanto que na despedida chorou como uma criança. Então condicionou seus esforços pelo Prêmio Nobel a eles e montantes financeiros. Lembrando que o seu pai morrera achando que Einstein não valia nada.

Oitavo: Equilíbrio, Vida e Convicções
Estourada a 2ª Guerra Mundial, 93 intelectuais acadêmicos assinaram um manifesto apoiando a Alemanha a aderir e lutar contrariando Einstein. Este concluiu que a Vida era maior que a Física e colocou seu prestígio e ideais a favor de uma mudança. Paz Mundial.
O ser humano é um ser especial. Sempre vem acima de qualquer coisa.

Nona: Inspiração
Einstein dizia que o som de Mozart era a conjuntura do Universo. Excelente tocador de violino, usava a música como objeto de inspiração e reflexão fora da caixa.

Décima: A recompensa
O que movia e fazia Einstein a não desistir de seus projetos ? Qual era sua recompensa. Ele percorria o Prêmio Nobel. Sua excelência não seria provada em cifras e reconhecimentos de pessoas x, y…Mas sim no Prêmio Nobel que significa uma contribuição e grande descoberta ao mundo!

“Ele foi um homem que pelo poder do intelecto, pelo grande poder de sua mente, pode se erguer acima da pobreza, acima da guerra e da discórdia e se tornar uma das maiores figuras da história da humanidade. Isso é inspirador, porque não é preciso nascer bonito; não é preciso ter muitos músculos; não é preciso nascer especial. Podemos ter êxito usando o poder absoluto de nosso intelecto, para mim isso sempre foi como um raio de luz”.

Michio Kaku

Compartilhe