As Organizações sem Vida

O grande desafio das organizações é conceder vida a ela.
Mas afinal, o que é vida?

De acordo com a definição dos biólogos e filósofos chilenos Humberto Maturana e Francisco Varela a vida é uma autopoiese (do grego auto “próprio”, poiesis “criação”), ou seja, os seres vivos produzem a si próprios.
Segundo esta teoria, um ser vivo é um sistema autopoiético, caracterizado como uma rede fechada de produções moleculares (processos), onde as moléculas produzidas geram com suas interações a mesma rede de moléculas que as produziu. A conservação da autopoiese e da adaptação de um ser vivo ao seu meio são condições sistêmicas para a vida. Por tanto um sistema vivo, como sistema autônomo está constantemente se autoproduzindo, autorregulando, e sempre mantendo interações com o meio, onde este apenas desencadeia no ser vivo mudanças determinadas em sua própria estrutura, e não por um agente externo.

Em resumo podemos afirmar que a vida é uma rede conectada entre os seres vivos e a natureza que se autoproduz e se autorregula devido a sua interação com o meio via processos naturais.

Outro ponto importante, dentro do organismo humano não existe paredes de separação, mas sim membranas interligando umas as outras e autoproduzindo informações. (Vide foto acima do sistema neural).

Agora o que são organizações sem vida?
São organizações interferidas por agentes externos e quebras do processo natural.

Se a vida se autoproduz e se autorregula naturalmente via processos naturais conforme ela vai andando; hierarquias matam o processo natural. Você tem um projeto de poder. Chefes e Subordinados (Dominador e Dominado) são pensamentos que não existem na “vida”.
Dentro da formação dos seres vivos existe hierarquia de funcionamento e líderes? Na natureza também existe? E assim funciona, certo?
Isto é a prova que esta intervenção externa, mata o processo de criação e interação entre as pessoas. São paredes e não membranas. As membranas permitem a troca de energia e matéria.

Nós fomos formados para um mundo centralizado e ninguém tem culpa disso, mas agora descobrimos que ele está ficando cada vez mais distribuído, conectado…
Querem controlar mas não conseguem mais.
Vejam o exemplo da Primavera Árabe originada pela conexão/interação virtual; músicas compartilhadas, livros compartilhados na internet; Mobile enfim…O século 21 já é uma rede social.

Diferenças:

Participação = comunicar. fazer parte de algo existente definido com suas regras e funções. Existem líderes.
Interação = Ação integrada entre pessoas. Agir mutuamente. Sem lideranças. Muito mais potente.

Descentralização = Não significa sem centro mas, muitos centros. Existe hierarquias.
Distribuição = Pessoas altamente conectadas. Existem múltiplos caminhos. Sem hierarquia.

Site da Rede = Ferramenta para as pessoas se conectarem.
Rede Social = Pessoas conectadas

Uma organização sem vida é uma organização onde o ser humano é impedido de produzir e se organizar naturalmente;

Uma organização sem vida é quando existe divisões de pessoas e conhecimento;

Uma organização sem vida é quando é imposto e não co-criado;

Uma organização sem vida é quando o poder é o principal objeto, fruto do prazer e satisfação e não o processo de transformação;

Enfim, assim como a vida é um processo, as empresas que não assumirem esta postura irão a falência.

Compartilhe