A Monocultura da Mente

Monocultura é o cultivo de apenas um produto agrícola (Ex: Soja) e esta associado ao latifúndio, ou seja, representa o DOMÍNIO pela grande concentração de terra.

Agora imagina seu cotidiano? Seu trajeto ao trabalho; o restaurante do almoço; ruas e lazer!
Pois bem, uma cidade onde as opções alimentares são cada vez mais fast foods (padronizadas), arranha-céus iguais, shopping center´s iguais, serviços, franquias, que tipo de saída você tem?
Esta padronização reflete no seu comportamento e hábitos empobrecendo sua mente e criatividade.

O business ou marketing pensa primeiro no sucesso do produto e na sua disponibilização nas praças, e não no desenvolvimento do ser humano.

O cultivo da monocultura é danosa ao solo pois, você tira dele (área) várias espécies de plantas que culminam em vários efeitos e planta apenas 1 vegetal….Esse 1 vegetal tem apenas 1 qualidade e afeta toda a cadeia animal, vegetal, solo e água.

As monoculturas não são apenas maneiras de usar a terra, mas também de pensar e de viver.

Grupos estimulam a monocultura da mente. Religiões estimulam a monocultura da mente. ONGs estimulam a monocultura da mente. Partidos Políticos estimulam a monocultura da mente…

Resumindo, grupos são latifúndios de plantações de um único caminho sob comando e visão de plantio do semeador DONO do pedaço.

“As monoculturas ocupam primeiro a mente e depois são transferidas para o solo. As monoculturas mentais geram modelos de produção que destroem a diversidade e legitimam a destruição como progresso, crescimento e melhoria. (…) A expansão das monoculturas tem mais a ver com política e poder do que com sistemas de enriquecimento e melhoria da produção biológica. Isso se aplica tanto à Revolução Verde quanto à revolução genética ou às novas biotecnologias.” Vendana Shiva

Imagina o setor alimentício comandado apenas por 2 empresas ? Automotivo ? e assim vai …. Já está provado, o maior câncer para a sociedade é a concentração econômica ou monopólio. As destruições que ela causa no meio ambiente, meio social e economia local são muitas.

O modelo de produção e objeto de produto ocupa nossa mente e depois é transferido para o meio ambiente onde sujeitamos pela única saída ou nos acostumamos pela exclusividade.

A Economia Criativa diz que não é a empresa ou produto que gera riqueza em uma cidade, mas as pessoas que estão nela pois, de suas mentes nascem os problemas e soluções.
Em uma cidade pode ter xx empresas instaladas, mas se as pessoas que estão nela forem “pobres mentais ou não criativas” não gerará novas formas de riquezas.

Daí pode se concluir que para estimular a criatividade precisa-se de ambientes e espaços propícios a estimulação da criatividade e inovação.

As cidades e empresas precisam ser criativas e não monoculturas.

E para isso precisamos resistir de participar e formar grupos e vivermos em REDES !!!

Compartilhe