O passo antes para aplicação da Gestão Colaborativa

Quando falamos que o problema do Brasil está na base, ou seja, na educação básica (crianças e jovens) queremos dizer que para o cidadão votar certo (tomar decisão – adulto) não é o meio (partidos e políticos) que devemos focar para mudar primeiro, mas sim no pensamento reflexivo das crianças e jovens em formação (Educação).
Um passo antes para compreender e gerar o impacto!

Este mesmo pensamento de didática refere-se também para qualquer implementação de modelo ou ferramenta inovadora para quebra de paradigma nas organizações. Existe um passo antes! Descobrir a causa para depois pontuar a consequência.

Ciência em Redes – Acupuntura para aplicação da Gestão Colaborativa
Imagina uma organização com aproximadamente 30 anos de existência, modelo tradicional e tecnicista de gestão e pensar, organograma hierárquico piramidal, parte do quadro funcional com 15 anos de casa, atua sempre no senso da urgência, vícios e zonas de conforto.

Diante de uma proposta radical de implementação de mudança, para um modelo em rede colaborativa e orientação voltada para a inovação, quais as chances de você acreditar que é possível converter sem uma crise avassaladora, resistências árduas, paradigmas de não funcionar ou outras dúvidas e superstições? (Vide figura abaixo da rede)
Todas não éh?

Já parou pra refletir sobre estes aspectos?
- A empresa é um espaço de convivência de pessoas ou departamentos (guetos fechados)?
- Qual a importância das e para os colaboradores e a própria empresa e sociedade?
- Se o problema são as pessoas, qual é a nossa origem e evolução para justificarmos a ciência e acharmos a (causa) o ponto (antes) e aplicarmos a acupuntura (consequência)?

Primeiro Passo: Entendimento
Nascemos humanos ou nos tornamos humanos?
Amala e Kamala (é uma história verídica) e vai reflexionar bem esta pergunta.
Elas foram criadas por uma matilha de lobos e encontradas pelo reverendo Singh com idades entre 2 e 8 anos de idade na selva da Índia e levadas ao seu orfanato. No entanto elas andavam de 4 como os lobos, uivavam (comunicação), não sorriam, sua visão era melhor noturna e comiam apenas carne crua e podre (hábitos/costumes).
Amala, a mais jovem, morreu com um ano e meio de idade devida a adaptação dolorosa do abrigo (como ela não tinha a alimentação que ela estava acostumada de carne crua e podre) Kamala viveu durante oito anos na instituição que a acolheu, humanizando-se lentamente. Ela necessitou de seis anos para aprender a andar e pouco antes de morrer só tinha um vocabulário de 50 palavras. Atitudes afetivas foram aparecendo aos poucos.
Ela chorou pela primeira vez por ocasião da morte de Amala e se apegou lentamente às pessoas que cuidaram dela e às outras crianças com as quais viveu.

Percebeu?
Somos filhos das relações sociais. Filhos da convivência. Filhos do meio.
Nos tornamos o que somos pela convivência.

Que convivência você deseja para sua organização?
- convivência de paz?
- convivência hierárquica?
- convivência cooperativa?

E nós quando começamos a ser humanos?
Vamos escolher aqui para reflexionar a visão da ciência (darwinismo). São registros e dados reais. Isso não significa que a visão religiosa não seja a verdadeira.
Quando nos tornamos o Homo Sapiens passamos por uma evolução começando como proconsul. (Vide figura abaixo).

Primeiro o homem era um macaco, correto?
Andava de 4, sua visão por andar de 4 lhe permitia enxergar uma esfera de meio mundo para o chão.
O primeiro passo para nos tornarmos humanos foi parar de andar de 4 (quadrúpede) e liberar as mãos (biu..)
Com as mãos liberadas começamos a tocar as coisas e o principal nos outros, a sentir o outro (carinho).
O carinho trouxe uma relação mais íntima pois biologicamente ao tocar no outro liberamos sensações químicas e o sexo veio aproximar mais os homens. Intimidade fortalece o grupo.
Assim começamos a descascar sementes para nos alimentar. Você sabia que o homem é o único animal que divide sua comida? A comida tem um poder fenomenal. Reúne pessoas, estimula o diálogo, a convivência, a dividir e repartir.
O poeta diz que nos tornamos humanos quando o homem em posição ereta conseguiu olhar para o céu e ver as estrelas.
A natureza quis que aprendêssemos a cooperação, cuidar um do outro, viver em grupo. Para chegarmos até hoje aqui foi o carinho e a cooperação que nos tornou humanos.
Hoje o ser humano impede de ser cuidado.

Então nossas bases de origem são:
1) Contato físico e intimidade
2) Alimento
3) Espaço físico
4) Cuidado

Foi comprovado já que de 10.000 anos prá cá o ser humano por motivos que não vou abordar aqui desenvolveu a individualidade, arrogância, violência, opressão para sobreviver.

Segundo Passo: Diálogo e a Reflexão
Quantos de nós sabemos ou compreendemos nossa origem? Quantos colaboradores da empresa sabem ou já reflexionaram isso?
Estamos aberto a este diálogo de compreensão com nosso grupo? Sem esta reflexão é impossível compreenderem o por que, como, onde e quando !!!
O diálogo é saber falar e escutar e está aberto aos outros e a aprendizagem que vai surgir.
“É muito difícil ouvir o outro porque estamos sempre nas nossas perspectivas.”

Sem antes o diálogo e a reflexão individual e coletiva não teremos compreensão e mudanças. Precisamos estar abertos a aprender, mudar e evoluir.

Uma passagem de Enchentes de Outono do Chuang-tzu
“O deus do Mar do Norte disse: – você não pode discutir o oceano com uma rã dentro de um poço – ela está presa num espaço confinado; Você não pode falar sobre o gelo com um inseto de verão – ele está restrito a uma estação. Você não pode falar sobre o caminho com um acadêmico preconceituoso – ele está limitado pela parcialidade…

Após este passo de entendimento de convivência e aprendizagem estaremos aberto e aptos; e nós mesmos iremos querer viver e trabalhar em um modelo em rede colaborativa.
O diálogo e reflexão deve ser estimulado como prática constante entre todos os colaboradores nos espaços de convivência.
Esta troca gerará aprendizagens mútuas e o espirito espontâneo de o “cuidar um do outro” fortalecerá a rede.

Precisamos de diálogo, amor e carinho! Não é utopia!

Terceiro Passo: Modelos de Aplicação
A Indústria Farmacêutica Boehringer Ingelhim por exemplo para estimular a rede colaborativo adotou:
- Ninguém inclusive o presidente tem sala e mesa fixa. (desapego e estímulo de convivência com todos e não um grupo do departamento)
- Home Office de x horas por mês para dar mais tempo ao convívio com a família. (Confiança na produtividade)
- Escritório Verde. Todo reciclado e as práticas são também sustentáveis. Ecossistema.
Ela é eleita uma das 10 melhores empresas pra se trabalhar avaliada pelos colaboradores e consultores.

Otto Scherman diz que precisamor fazer a transição das organizações Egosistêmicas para Ecosistêmicas.
Enfim, este artigo é uma reflexão no ANTES ou melhor na BASE para depois propor meios de mudanças.

Acredite! Sua origem e o ecossistema sempre foi e será assim.

Compartilhe