Monthly Archives janeiro 2013

Quanto tempo perdemos enganando a nós mesmo…

Quanto tempo nós perdemos na vida tentando ser uma outra pessoa ou querendo ser outra pessoa? Criamos personagens e nos escondemos atrás dele de nossas frustações, incapacidade, medo ou vergonha de quem somos, de onde viémos, de como somos e para onde iremos. A saída é viver realmente só no mundo?

Esta aflição ou sofrimento mental levam muitas vezes as pessoas a depressão ou a se tornarem um grande contador de mentiras.
Qual o prazo que aguentamos viver na auto-enganação e mentira de nós mesmos?
É muito comum você observar no seu círculo de amizade, ambiente político e empresarial personagens e mentirosos disfarçando o que pensam e o que realmente são.
Para uns isso se chama sobrevivência e aceitação. Para outros isso se chama infelicidade!

Otto Schermann (Co-Autor...

Read More

A confusão da Sustentabilidade :-/

Uma grande indústria nacional de cosméticos propaga ser ícone da sustentabilidade por usar matérias-primas naturais e de fornecedores ribeirinhas com propostas de desenvolvimento local de determinadas regiões e embalagens recicláveis.
Por outro lado, sua força de vendas são mulheres sem registro em carteira que não possuem salário fixo ou ajuda de custo onde realizam a chamada venda porta-a-porta. Estas tais mulheres não terão direito a aposentadoria (INSS) e outros direitos dos trabalhadores que a Lei Brasileira garante. Ela está entre as 10 maiores pela Revista Forbes no Brasil e um alto índice de admiração empresarial por profissionais.

Grande fatia da classe C/D/E possui dívida nos bancos privados por conta de empréstimos e outros produtos.
Para bater as metas de ven...

Read More

Só os loucos sabem…

O primeiro contato que tive com a loucura foi com o texto “Ode aos loucos” de um autor desconhecido lido por um amigo palestrante em 2005. A partir daí aprendi a respeitar e admirar os loucos. Talvez esse texto foi a senha para o louco de dentro de mim se despertar.

Por um tempo fiquei pensando:
- O que leva a um cara querer ir para a lua?
- Um monge a percorrer o mundo pela paz?
- Um apaixonado a fazer loucuras por amor?
- Um cara largar a sua suposta estabilidade corporativa e querer arriscar tudo para empreender?
Só sendo muito louco para querer viver isso. Para muitos isso se chama “empreendedor”, pois justamente são os que o fazem…

Acho que ainda não tenho todas as resposta; só uma coisa eu sei, só os loucos sabem!

Só os loucos sabem o valor do risco e do vento no rosto; a não ...

Read More

Por que vivemos na perspectiva do IMPROVÁVEL?

Por que estamos sempre na perspectiva do improvável?
Veja este vídeo de 1:43. Tan Hong Ming não acreditava que um dia “namoraria” Umi Qazerina e tampouco tinha coragem de se declarar. A partir de um encontro de diálogo entre os dois, ele descobriu que ela também gostava dele… O improvável se tornou provável!

Vivemos em um mundo principalmente neste século XXI em constante mudanças. Não há como não fazer esta transição de modelo. Charles Darwin dizia: “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças..”

Não acreditamos nas mudanças do nosso departamento, cultura organizacional, espaços de conviVência e todas aquelas ideias e inovações serão improváveis pois a culpa é do seu fulano, ciclano que é ignorante, obsoleto ou um nã...

Read More

De organizações EGOsistêmicas para ECOsistêmicas

Meu objetivo como empreendedor e agente futurista neste blog não é dar dicas superficiais de como empreender, tampouco discutir as “consequências” dos problemas organizacionais com a proposta de motivar profissionais com medicações de auto-ajuda ou histórias inspiradoras, mas a de identificar as “causas” dos problemas organizacionais, preparar as empresas para a transição do futuro (século XXI) e propor a reflexão propositiva e o diálogo como o meio para as soluções práticas inovadoras.

Vivemos hoje uma transição de modelo de poder e econômico motivado pelo novo Capitalismo Distribuído ou pela Terceira Revolução Industrial. A primeira e a segunda revolução foram baseadas em combustível fóssil e favoreciam estruturas centralizadas (top-down)...

Read More

A ciência da compaixão

Compaixão é o reconhecimento do sofrimento do outro e o desejo de ajudar a aliviar o seu sofrimento. Já é cadeira na Universidade de Stanford (EUA).

E qual a diferença entre dor e sofrimento?
Dor são sensações físicas desagradáveis podendo estar associada a um processo destrutivo do corpo enquanto sofrimento são experiências aversivas e suas emoções negativas (infelicidade).
Emoções negativas estão dentro da nossa mente e podem ser consideradas: Apego “Eu e Minha”; ódio, raiva, vingança, superioridade, ganância, egocentrismo, inveja, ciúmes, individualismo, poder, malícia etc…

E como podemos nos livrar do sofrimento? A partir de nós mesmos. Compaixão e Bondade.
Richard Davidson, Neurocientista da Universidade de Wiscosin (EUA) em pesquisas recentes revelou que ...

Read More