A confusão da Sustentabilidade :-/

Uma grande indústria nacional de cosméticos propaga ser ícone da sustentabilidade por usar matérias-primas naturais e de fornecedores ribeirinhas com propostas de desenvolvimento local de determinadas regiões e embalagens recicláveis.
Por outro lado, sua força de vendas são mulheres sem registro em carteira que não possuem salário fixo ou ajuda de custo onde realizam a chamada venda porta-a-porta. Estas tais mulheres não terão direito a aposentadoria (INSS) e outros direitos dos trabalhadores que a Lei Brasileira garante. Ela está entre as 10 maiores pela Revista Forbes no Brasil e um alto índice de admiração empresarial por profissionais.

Grande fatia da classe C/D/E possui dívida nos bancos privados por conta de empréstimos e outros produtos.
Para bater as metas de vendas este banco permite a agência e sua equipe a induzir aos menos favorecidos empréstimos e produtos em xx vezes +renegociações com juros abusivos.
Em um outro cenário ela faz financiamento para empresas sem se quer saber os impactos desta indústria no meio ambiente e pessoas. Ela faz uma boa propaganda na TV dizendo que reutiliza a água da chuva e recicla papéis. Podemos dizer que ela é sustentável?

Podemos dizer que estas empresas são sustentáveis? Até que ponto ou fronteira?
Sustentabilidade significa apenas = meio ambiente, árvores, camada de ozônio, rios e etc ??? A resposta é: Parte!

O princípío da sustentabilidade estão nos valores éticos e morais. Quais valores éticos e morais são colocados perante o modelo do negócio, meio ambiente no presente e futuro e para as pessoas e demais seres vivos que habitam nela?
Quando eu jogo um sofá no rio ou um papel na rua é um valor ético ou moral da minha parte? Quando eu acho um dinheiro na rua e devolvo a pessoa que o pertence de verdade é um valor ético ou moral? Quem me educa para isso?
Qual a relação de respeito e direitos ao trabalhador?
Qual o equilíbrio entre o econômico x meio ambiente x pessoas?
Meu produto agride a saúde e espaço dos meus consumidores?
Monopólio empresarial é sustentável?

Deu para perceber que a sustentabilidade é um plano holístico?

Há um tempo venho discursando e induzindo que o marketing das empresas devem usar seus pontos-de-venda e demais espaços para através de seus produtos e marcas, induzir a mudança de valores da sociedade para um mundo melhor. Antes ela precisa estar dentro do conceito.

Olhando para o lado interno da empresa – convivência e gestão.
Convivência – Para um profissional estar às 08h00 na empresa na média acorda às 05h30 e sai às 06h30 de sua residência. Abdica dos filhos para contribuir no projeto de crescimento e resultado. Esse mesmo pensamento serve para a suposta empregada doméstica que cuidará do lar e filhos deste profissional abdicando dos dela.
Que tipo de respeito, diálogo e ética eu tenho com estas pessoas neste espaço de convivência? Responsabilidade Social significa a empresa dar um cheque anual a uma instituição da favela? Onde ela atua nesta história também?
Existe um estudo que mostra o impacto dos ambientes corporativos na violência e saúde.
Pessoas que adquirem o vício do cigarro e bebida ou agride esposa por conta de pressão e demais aspectos negativos no ambiente empresarial.
Aqui entra a cultura da compaixão. O medo, a aprendizagem mútua, o encorajamento, o respeito mútuo e demais meios para acabar com as aflições mentais nascem de uma cultura de compaixão. RH é uma sigla, quem pratica e determina estes valores são as pessoas. O que o RH pode fazer é no máximo selecionar profissionais para com este DNA e criar KPI´s para medir o clima e resultados. Fora isso, são as relações que determinarão o espaço de convivência.

Um ponto que entro e faz parte da sustentabilidade olhando para gestão é o modo como é arranjado as relações das pessoas, ou seja, o organograma, status, poder e hierarquia.
Não vou me aprofundar mas aqui vai sair: O grito e a obediência; monocultura mental; Eu mando e você obedece; Meu crachá é nível 1 e sou 2; etc… Até onde é sustentável esta parte?

Oras nada será perfeito e sempre alguém reclamará. Sim, se o mundo fosse todo linear e de uma única e exclusiva opinião teria tanta graça? Ou melhor que sentido teria?
Mas é na diversidade que crescemos e onde emerge a inovação.
A diversidade precisa ser compreendida e trabalhada. Para isso só a rede para ventar.

O capitalismo precisa ser reinventado e o modelo tradicional e tecnicista que criou-se reflexo de muitas empresas atuais precisa ser revista pois, a história do amanhã depende da história do hoje que as empresas, pessoas e o governo estão contanto.

Compartilhe