A pior violência é o preconceito

A pior violência é o preconceito.
Este tipo de violência vai matando aos poucos a pessoa por dentro trazendo sequelas para o corpo físico causando uma morte social.

Quando se pensa em preconceito pensamos na maioria das vezes no homossexualismo e no racial.
Mas e o preconceito contra os analfabetos, os sem diplomas universitários, os deficientes físicos, os mais novos, os mais velhos, os pobres, os ex-presidiários, os sem sobrenomes, dislexos, aidéticos, problemáticos mentais, religiosos, até os inovadores?

São tantos preconceitos invisíveis convivendo entre nós que não percebemos o quanto de pessoas vamos matando lentamente por dia em nosso derredor. Muitas vezes sepultamos talentos.

Muitos dos grandes gênios da humanidade se suicidaram ou cortaram alguma parte do seu corpo não por loucura ou excesso de genialidade, mas pelo preconceito, a morte social.

As empresas pedem pessoas inovadoras, mas quando as encontram, as discriminam pelo seu jeito e estilo. Inovador representa o diferente, o novo, oras, então como podem exigir um comportamento normal?

A verdade é uma só no mundo empresarial:

Os Bons = Conquistam pela Meritocracia
Os Medíocres = Chegam pelo Coleguismo/Amizade
Os Ruins = Tentam pela trapaça/Jogo Sujo

Bom, quantas pessoas boas nas comunidades pobres vão morrendo lentamente por falta de oportunidade fruto do preconceito social que as barram? Não é de se espantar o volume de doenças mentais e rebeldia produzida sobre eles.

Esta reflexão sobre a morte social me caiu ao assistir o filme “Philadelphia” de 1993 com Tom Hanks, Denzel Washington e Antônio Bandeiras. O filme conta a história de um jovem advogado brilhante que é demitido de um dos maiores escritórios de advocacia da Philadelphia pelos sócios ao descobrirem que ele era portador do vírus HIV. Ele então decide processá-los por injusta causa.

Nove advogados não queriam pegar sua causa até que questionado pelo seu futuro advogado defensor, sobre “Mas que tipo de invalidez você alega usando a Lei, que a doença o causa?”
Mr. Beckett responde: – O preconceito vai causando uma morte social aos poucos deixando qualquer pessoa inválida.

Isso é uma porrada na cara!

Quantas pessoas a sociedade vai deixando inválida lentamente pela ótica da recriminação? Discriminação? Desafeto? Vingança? Falta de Compaixão?

Não é a toa que a doença do século é a depressão.

Compaixão significa = Ajudar no sofrimento do outro.
Já está provado cientificamente por pesquisadores médicos que aqueles que não sentem compaixão pelo outro acarretam muito mais doenças.

O individualismo, a soberba, orgulho, arrogância, vingança, raiva, ódio, mágoa, rancor e outros sentimentos negativos e nada altruístas só trazem prejuízos a saúde e emoções das pessoas.

Vale a pena isso? Vale a pena isso para conquistar algo? Não!

Todas as pessoas são seres especiais e merecem respeito. Se chegamos todos até aqui desde que o homem deixou de ser um animal a milhões de anos atrás, foi por causa da colaboração, afeto e carinho.
Essa é a nossa verdadeira essência.

Exercite a compaixão e chegarás na verdadeira plenitude da vida!
Recomendo qualquer um a assistir este filme.

Compartilhe