A compaixão e o amor é o caminho – A felicidade o fim…

holi

“A compaixão é um profundo desejo de ver os outros aliviados do sofrimento, o amor é a outra faceta, um forte desejo de ver os outros felizes.” Dalai Lama

Se perguntar a qualquer criança ou adulto, o que mais deseja para a sua vida, a resposta é única – ser feliz!
Felicidade é o que todos buscam seja na vida pessoal e profissional.
Mas ao longo do caminho, enfrentamos sofrimentos, e o próprio sofrimento somos nós que criamos e só nós mesmos podemos sair.
Perceba a diferença, a dor você sente, ela é física e remédios aliviam a dor. O sofrimento você sente, mas não é físico porque está na alma e só a superação pode aliviar.

Como e por quê criamos sofrimentos?
Se analisar de um modo geral as frustações, notará que todas os sofrimentos foram criados pelo nosso ego incomodado e pelo apego aos bens materiais dentro da nossa mente.
Frustação pela classe social; Amor não correspondido ou Amor ainda “não encontrado”; Não recebimento da mesma intensidade de amor que você dá ao outro; Cargo e Salário; Falta de reconhecimento; Ansiedade; Depressão; Solidão; Vaidade etc…

Notem, tudo isso não é culpa do outro. Aonde o outro entra nesses sofrimentos? Faça um exercício honesto.
Nós mesmos criamos barreiras e paradigmas na nossa mente. E só nós podemos vencê-los.
A reação é o jeito de criar sofrimento.
Quando decidimos reagir a uma situação seja ela qualquer for, é porque a ação contra nós nos incomodou, e este incômodo feriu nosso ego interior. Então, a decisão de reagir, refere-se a defender ou responder este incômodo.
Apego. Toda reação ocasiona um caos. Os maiores humanistas defendiam a não reação e a não violência – uma cultura de paz. Mahatma Gandhi, Dalai Lama, Jesus Cristo …

O Caminho e o Fim.
Se o fim é a felicidade, qual o caminho?
Já reparou que toda comemoração seja de aniversário, campeonato esportivo, natal, reveillon ou melhor qualquer momento agradável e etapa conquistada sentimos necessidade de partilhar com o próximo?
E sentimos melhor quando mais “damos” do que “ganhamos”?
Sabe por quê?
Somos filhos das relações sociais. Nossa natureza humana ou se chegamos até aqui depois de bilhões de anos, foi porque aprendemos a dividir com o outro, viver em comunidades, compreender, amar e perdoar.

Então achamos o caminho: a compaixão e o amor.
A definição e aplicação está respondida na frase de Dalai Lama acima. Compaixão é quando ajudamos o outro a aliviar sua dor e o amor é um desejo forte de ver o outro feliz!

Já são inúmeras pesquisas científicas dos benefícios da compaixão e o altruísmo. Faz bem para nossa saúde, alma e própria felicidade.
Veja bem, ajudar o outro por obrigação ou mostrar a bondade a sociedade é ego e vaidade.

A compaixão nada mais é que exercer nossa própria natureza humana. Ao longo dos anos, fomos perdendo esta essência pelo desejo de dominação, poder, hierárquia e males do mau.

As empresas precisam da cultura da compaixão, as escolas e universidades, as famílias, os hospitais, as comunidades, a humanidade. Consequentemente, nascerá o amor…

Enfim, esta explanação do Daniel Goleman no TEDx Califórnia 2007 é muito legal para compreensão da compaixão em “Por que nós não somos mais misericordiosos por mais tempo.” Vale a pena assistir os 13 minutos.

Compartilhe