A dificuldade de errar e assumir riscos

Por quê só mostramos acertos, cases de sucesso, pessoas, governos ou produtos que deram ou dão certo? Por quê só cultuamos as notícias boas?
Isso é um erro e uma involução sócio-empresarial.

Na música “Perfeição” da Legião Urbana – A letra é sarcástica e um recado aos políticos, mídia e sociedade que passam a mensagem que está tudo bem, mas a realidade é o inverso.

“Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões…

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação…”

Deste jeito, não formamos pessoas para assumir riscos, criar novas aprendizagens e inovar. Tudo isso são uma zona de riscos e erros. Pra inovar, reinventar, precisa errar! Pra errar também precisa de dinheiro (orçamento).
Quantas empresas criam o orçamento para errar?
Meu amigo, palestrante e escritor Luciano Pires diz que vivemos a República do Cagaço. Mas o que é um cagão?

O Cagão é aquele profissional ou chefe que não gosta de assumir riscos e responsabilidades, inseguro, vive escondido debaixo da mesa com medo de pintar um projeto novo que exija que um líder assuma riscos e responsabilidades, podando por vezes sua equipe. Ele prefere fazer o arroz com feijão e esperar sua aposentadoria de modo tranquilo do que colocar em prova sua “falsa” estabilidade empregatícia.
Ele prefere colher 5 assinaturas antes para que se houver alguma falha ou erro, ele diz que “Ah, mais 5 pessoas olharam e assinaram, a culpa não é só minha.” Confunde isso com processo!
O cagão vê o superior passando e como um mordomo saí pageando-o ao invés de dizer que discorda dos seus pontos de vistas e que para o bem da empresa, produto ou equipe o ideal é…
Mas o pior defeito do cagão é fazer de tudo pra impedir que um projeto ou outras pessoas vão adiante, e assim, cria dificuldades tentando chegar na desistência. O cagão tem medo de errar e assumir riscos!

Cite uma inovação que deu certo logo no primeiro teste? Existe sim empresários que deram certo logo na primeira tentativa, mas a grande maioria quebrou uma empresa pelo menos 1 vez.

Não temos uma cultura de expor e estudar os erros tampouco gostar de errar e assumir os riscos. Parece um crime inafiançável!
Errar é humano, insistir no erro é burrice!
Precisamos criar um movimento para errar! Sou louco? Não! Quero mudar a vida das pessoas e para isso, precisamos errar até chegar no ponto certo!
Estes erros precisam ser expostos, compartilhados, escutados, e o autor do erro precisa ser premiado! Proponho uma premiação anual para o erro!

Premiar o cara que errou e perdeu dinheiro? Sim, ele tentou, ousou, e por um erro não percebido ou incanculável, falhou! Mas ele teve coragem, se expôs, comprou briga, assumiu riscos e responsabilidades!

Ops! Roubo, mau caratismo, pilantragem, sacanagemm, má fé não tem nada a ver com erros! Isso é desvio de personalidade e conduta ética!

O erro de que falo é o erro de inovar um produto, processo ou jeito. É buscar fazer mais e melhor! Tudo isso para beneficiar as pessoas!

Precisa fazer a Convenção das Prefeituras e Governos que deram errado! As empresas e produtos que deram errado!
O prêmio da Revista (x) dos maiores “Errões” do Ano.

Enfim, se você concorda com esta visão em pró da inovação e reinvenção, compartilhe desta ideia! Contamine sua empresa, proponha orçamento pra errar por que você quer MUDAR, INOVAR, REINVENTAR !!!

Compartilhe