A Inteligência Espiritual como Tecnologia Social

Do nascer ao morrer lutamos para sobreviver. Sobreviver no trabalho, nos relacionamentos, contra as doenças, velhice, injustiças e fatalidades da vida. Todos estes pontos estão relacionados diretamente com o corpo, alma, espírito e a natureza.
Todo soldado deseja encontrar a sua paz.
Quando você encontra a sua paz, Você dá paz aos outros.

Como podemos conviver com a harmonia se a nós mesmos não temos.

“Um homem quando está em paz, não quer guerra com ninguém…” Banda Charlie Brown Jr

A paz interior não depende de classe social, fatores econômicos ou dogmas religiosos, ela está ligada a inteligência espiritual.

O mundo ocidental principalmente, nos ensina e nos treina desde pequenos a olharmos para fora e não para dentro. Por não sermos encorajados a refletir sobre nós mesmos e o nosso interior, nos tornamos carentes de inteligência espiritual. Nas casas, escolas, universidades e empresas são assim.

Essa deficiência nos condiciona a absorver uma dependência da consciência coletiva, ou seja, nos privamos de nossas opiniões, escolhas e desenvolvimento individual nos tornando um integrante da multidão arrebanhada.

Podemos analisar se temos inteligência espiritual, observando:

a) Tenho capacidade de enfrentar o sofrimento e ser flexível?
b) Celebro a diversidade?
c) Tenho compaixão pelo sofrimento do outro?
d) Sou Espontâneo?
e) Tenho grau elevado de autopercepção?
f) Qualidade de ser inspirado por visão e valores?
g) Relutância em causar danos desnecessários aos outros e a natureza?
h) Respeito a outros pontos de vista (ter humildade) ?
i) Reviso constantemente os meus valores?
f) Faço perguntas do tipo “por que” e procuro respostas fundamentais?
g) Tenho a visão das conexões entre coisas diversas (ser holístico)?
h) Sou inseguro ou Seguro?
i) Vivo o presente?

Se quisermos uma sociedade menos violenta, imoral, stressada e mais harmoniosa, altruísta, criativa, inovadora e equilibrada precisamos desenvolver a inteligência espiritual e inverter os papéis, ou seja, é de dentro pra fora!

O processo criativo é assim!

Lembro-me de um encontro com Sri Sri Rav Shankar ele dizendo: “Você pode encontrar tudo no google menos a presença”.
A religião não é uma resposta, mas um caminho. Esta resposta é descoberta a partir da auto-consciência sobre qual é o nosso propósito na Terra, no trabalho e na família.

A Inteligência Espiritual* é a inteligência da alma, aquela que impulsiona abordar e solucionar os problemas. Faz com que nos tornemos verdadeiramente íntegros para inserir os atos da nossa vida em um contexto mais amplo, rico e gerador de significado. Algo que dê mais sentido e valor aos seres humanos para conceder o sentimento de totalidade.

Precisamos compreender o nosso papel e contruir uma atitude sólida em relação as coisas que acontecem a nossa volta, isto é, assumir a responsabilidade pela nossa vida.

Meditação
A meditação não é uma prática religiosa, mas uma ferramenta de reflexão interior.
O príncipio da meditação é esvaziar a mente. No dia a dia nossa mente é prendida por apego a bens materiais, poder, vaidade, ego, ou seja, sentimentos materiais com força destrutiva.
Com a mente vazia você é capaz de refletir internamente e buscar teus sentidos e propósitos.
Científicamente já foi comprovado diversos benefícios a saúde e sociedades com esta prática.

Deu pra perceber que a inteligência espiritual é uma tecnologia social frente aos problemas da sociedade? Só que antes de qualquer trabalho emocional ou material, ela vem antes.

A luz que buscamos até o fim da vida, a verdadeira luz é desprendida do ego e vaidades.
Quando vivermos esta luz a paz nos achará.

Compartilhe