#Dica3 Você não precisa de dinheiro para empreender

Você que está querendo montar ou está montando uma startup pode estar se perguntando. E o dinheiro? Qual banco vou pegar um crédito? Bradesco? Santander? Itaú. Qual tem a menor taxa? E o BNDES? E se não der certo como vou pagá-los?

O problema de um empreendedor não é o dinheiro, dinheiro está nos bancos, fundos de investimentos, famílias, investidores etc… O problema são três: Projeto de alto impacto, Atitude/Vontade Empreendedora e Networking.
Se tu tem um puta projeto de negócio que tem um potencial de alto impacto, tem atitude de correr riscos, fazer acontecer, know-how, tem equipe, e tem pessoas chaves que pode apresentar esta façanha, como o dinheiro não aparece?

O modelo antigo de empreender era buscar crédito nos bancos e se endividar, o modelo atual se chama capital anjo.
Formas que você pode buscar investimento:

1) Capital Família: Mobilizar sua família criando um fundo de investimento. Daqui pode sair dinheiro do FGTS, Poupança, Venda de móveis e imóveis e etc…
2) Capital Anjo: Anjo são pessoas físicas (Amigos, Profissionais) ou jurídicas que estão dispostos a investirem em ideias mirando um ganho futuro. O retorno pode acontecer maior que qualquer previdência. Aqui a sociedade é requerida até 30%.
3) Aceleradoras: Acelerados são entidades que colocam um capital semente (inicial) + mentoria em troca de 5% a 20% da sociedade.
4) Capital Universidade: Universidades como Harvard, Stanford possui fundos de investimentos compostos até por ex-alunos. Acho que a FGV estava com esse movimento para acontecer.
5) Crowdfunding: São plataformas colaborativas pela internet como por exemplo Catarse, KickStarter, onde você cadastra seu projeto com o valor inicial do investimento e divide por cotas. Estas pessoas que comprarem suas cotas não precisam ser seus sócios, você devolve pra ele o investimento como por exemplo a primeira tiragem do produto. São pessoas que acreditam no seu projeto e reputação.
6) Venture Capital: São fundos/bancos de investimentos ou clubes de investidores dispostos a assumirem o risco de projetos e investirem. Aqui nesse modelo eles entram também com gestão profissional + % sociedade.

E aí, não se convenceu ainda? Se não precisa rever seu perfil empreendedor.

Fica esta outra dica empreendedora.

Compartilhe