#Dica6 Nasça para o mundo e não para sua família

Tem uma frase perfeita do poeta libanês Khalil Gibran que diz assim:
“Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.”

Entendeu? Os filhos são do mundo!
Hoje o principal pensamento de uma startup deve ser – “Estou nascendo global?”
Claro, não temos mais dúvidas que o mundo está global e os outros mercados estão a espera de parceiros e novos produtos e serviços.

Este ponto, também é um fator decisivo para os investidores. Qual o alcance de mercados da startup?
Mercados emergentes? Mercados consolidados? Custo x benefício?

Para trabalhar este tema, você deve imaginar:

a) Meu produto/serviço resolve o problema de outras pessoas em outros países? Se sim, quais? Se não, o que falta? Tem concorrentes lá?
Faça buscas no google, google patents, pesquise em outras fronteiras.

b) Uma vez identificado oportunidades em outros mercados, conecte-se em câmaras de comércio, associações, linkedin e outras fontes e tente arrumar parceiros em outras esferas.

c) Crie uma marca global. Não adianta criar uma marca com características bem locais. Compre o domínio .COM, conceitue uma marca capaz de ser aceita e compreendida globalmente.

d) Conecte-se com aceleradoras e incubadoras de outros países. Busque dicas e mentorias.

Notem, este estágio de startup é totalmente com base tecnológica.

Fica mais esta dica empreendedora!

Compartilhe