As pessoas não compram o que você vende, mas Porque você vende

Esse anúncio de carro é um clássico do “O que você vende”.
E se ao invés dessa placa e telefone o dono do carro colocasse uma foto do carro preparado pra viagem com uma família feliz e dissese:
“Um viajante experiente dando a oportunidade para outro viajante.
Se procura um carro pra viajar com 5 pessoas e passar bons momentos com o conforto dos bancos de couro, a segurança do freio abs pra estrada que faz diferença na descida, motor 2.0 etc…. Me ligue.”

Tem diferença?

Talvez umas das principais falhas do marketing/vendas atualmente seja não mostrar o “Porque está vendendo”.
Porque eu vendo isso, porque criei esta empresa, por que estes clientes estão satisfeitos com isso e por que pagam este preço por isso?

Seus “Porques” vão chegar a discursos de conteúdos vs experiências, diferente de propagandas.
Por que a Apple é tão aclamada? Você já viu alguma propaganda da Apple? Não.
Eles não te mostram ou vendem um produto, mas te mostram o por que criaram o produto, por que você precisa deles, porque a apple é a melhor, porque você vive uma experiência única com eles, por que o preço deles custam mais caro.
Disso gera o melhor marketing, o boca-a-boca.

O “o que você vende” se mostra mecânico, fábril, sem experiência.

Tão logo sua resposta vai cair em histórias e propósitos. Pra mim o propósito é o principal efeito da marca criar fãns!!
“Eu odeio clientes porque eles tem liberdade de escolhas.” Bruce Dickson, Vocalista do Iron Maiden
O fãn tem devoção! Ninguém fala “Ah vou comprar o CD do Artista (x) porque está mais barato que o meu artista preferido”.
Por exemplo com bandas:
Um fãn se identifica com a mensagem do artista, com a atitude dele se expressar, com suas músicas, seu estilo de vida e modo como eles se relacionam com sua audiência.
No final querem ser como ele, se vestir como ele, etc…Ter seu estilo de vida!

Ontem fui assistir no cinema “A culpa é das estrelas” e me perguntei, por que 90% está chorando?
Conclui que gostamos de histórias e daquilo que nos faz refletir e repensar (experiências). Poderia ser eu ali!

Bom vamos lá,
Se você está direcionando suas vendas para propagandas tradicionais (panfletos “venha conferir”; Lâmina “olhe nosso portfólio e escolha”; Clube de descontos; Anúncio na revista com o global; Aquela chamada no Rádio “O produto é bom”; Na TV “Peça pelo nome”, Nas mídias sociais “Curta nossa Fan Page”….

Você está no nível do “O que você vende”.
E te digo que logo mais você vai ser atropelado.

Agora se você está direcionando suas vendas para conteúdos:
Videocasts: Vídeos rápidos educativos onde a pessoa possa compreender, se questionar, refletir…
Podcasts: Áudios onde ela irá escutar na web, carro, ipod e poderá aprender, compreender, questionar, refletir …
Blog: Textos para atrair, se perguntar, experimentar e manter diálogo
Guias para download: Disponibilizar para downloads mais material para os interessados
Infográficos: Estatísticas e mapas sobre resultados
Etc…

Você está no nível do “Por que você vende”.
Tão logo você vai gerar relacionamento e os usuários farão questão de deixar depoimentos no seu site, comentar seus artigos e posts no FB, Twitter, Linkedin etc…gerando interação.
Esta interação vai virar um marketing boca-a-boca.

Outro fator que você deve pensar é que cada vez mais o Smartphone e App ganham espaço para os usuários fazendo da tecnologia um benefício para as pessoas.

Como esta tecnologia pode ajudar seu produto e empresa?

Goste do “Por Que” e não do “O que”.

Compartilhe
Tags:  ,