Abre a boca! Vai conversar.

No passado quando empreendi no setor de serviços de marketing não fui tão assertivo em vários aspectos do negócio. Essas deficiências poderiam ter sidos resolvidas ou esclarecidas, se tivesse uma atitude, pedir conselhos a outros empreendedores, executivos e professores. O famoso mentoring.

Hoje eu empreendendo uma startup de alimentos, tenho como esta principal lição e “valor percebido”, quão é importante você contar sua ideia e negócio para várias pessoas, pedindo críticas e conselhos. Estes conselhos, trocas de experiências e visão, são mais importantes que as teorias dos livros ou o desenho acadêmico do plano de negócio.

Ah, mas o cara vai roubar minha ideia? Talvez, mas a resposta é mais negativa.
Se você não contar a ninguém, ninguém poderá te ajudar ou financiar o seu negócio. Esse é um pensamento ultrapassado e antigo, vivemos na economia da colaboração e compartilhamento.

Mas posso te dar uma dica. Visão de empreendedor, executivos e professores são bem diferentes, você deve estar preparado para entender o perfil de cada um:

1) Empreendedor: É o cara que te valida a visão de futuro, a oportunidade. O empreendedor adora risco, criatividade e inovação. Sempre está disposto a pagar pra vê. É mais descolado.

2) Executivo: Ele não quer Deus, mas o milagre. É a visão dos números e aversão ao risco. Este sempre terá uma visão negativa do mercado, pois esta condicionado a sua rotina diária de metas. Sendo assim, ele tenta te fazer ver que está errado. Então por que mostrar para esse cara? Você precisa de críticas, sem críticas não há questionamentos, dúvidas, e ajustes. Não que o empreendedor não seja crítico, mas o executivo é doutrinado pelo tecnicismo.

3) Professor: É uma visão mais processual. Pode não conhecer a dinâmica do mercado mas entende dos caminhos e fórmulas que você pode acessá-lo ou descobri-lo.

Bixo, se consulte em todos os temas, finanças, ideação, mercado, vendas, marketing etc…

Como escolher meus mentores?

Eu tenho esta seguinte visão: “Se quero ser grande, tenho que andar com gigantes.”
Quem são os gigantes pra você? Então, são estes que você deve pedir conselhos.
Veja bem, gigante não significa ser rico. Gostaria de ter tido uma mentoria com o Eike Batista? Eu não! Não por que ele faliu, aliás a falência é marca de guerra e ato de heroísmo, mas por que ele agiu de má fé 100% no seu negócio e sabia o que estava fazendo friamente para chegar na sua fortuna. Um escroto sem valores, filosofia e moral.
Seu dinheiro nunca o fez um gigante pra mim!

Ah, mas como chegar neles? É difícil, poxa!
Pode ser até difícil mas se você não fizer nada não saberá os resultados.
Procura no linkedin ele(a). Manda um inbox pelo facebook, twitter. Descobre se ele participa de algum sindicato, ONG, envia carta, email.
Sua humildade em pedir ajuda, fará este interlocutor se sentir honrado pelo gesto, vai por mim.

Só estou tendo mentoring de gigantes neste novo business e posso te dizer que a cada conversa cresço mais e diminuo os erros.

Abre a boca! Vai conversar!!!

Compartilhe