Precisamos de uma nova consciência, precisamos de um novo coração

Mar Vix

Quem me conhece mais de perto sabe que como todo jovem sonhador um dia eu já fui socialista, Presidente do Diretório Acadêmico da Universidade, Quase expulso dela, Baterista, Religioso, Executivo de Empresas, Premiado em concurso de poesias, sempre buscando coisas … Histórias boas e ruins.

Ao longo da vida você vai vendo e aprendendo sobre as formas de caminhar por ela e obter sucesso com prestígio, reconhecimento, status, nos bancos universitários, grupos, família e amigos. Em muitos casos, o indivíduo desenvolve o individualismo, a competição e o egoísmo para garantir que o seu caminho obtenha todo esse reconhecimento com as mulheres, liderados, família, empregados e sociedade.
O dinheiro, a fortuna é um grande instrumento para as supostas conquistas, privilégios e prestígio.
Ele o dinheiro até confunde o gostar de verdade com o interesse.
Mas com todo esse esforço que a humanidade faz pensando que “Só os fortes sobrevivem” interpretando erroneamente Darwin, pois ele disse que “Os mais fáceis de se adaptar sobrevivem”, vemos uma sociedade infeliz e angustiada no trabalho, nas relações pessoais e com a vida.

Pode ter certeza, não faz parte do ser humano e qualquer mamífero esta condição de EXISTÊNCIA, de “TER para SER”, “COMPETIR para GANHAR”, “Egoísmo”, “Individualismo”, “Poder para mandar”, “Comandar e Controlar” e demais sentimentos negativos.
Criaram esta alternativa como forma de uma suposta sobrevivência e organização e vemos que hoje ela dilacerou a humanidade.
Guerras, Assassinatos, Corrupção, Mentiras, Desigualdade Social, Racismo, Intolerância Religiosa, etc…

Todos nós nascemos com a semente da compaixão, é preciso nutri-la com o amor paternal, professores e incorporado no trabalho.

Tania Singer, Diretora do Departamento de Neurociência Social na Max Plank Instituto pesquisou durante anos sobre os refugiados da 2ª Guerra Mundial nos campos de concentrações do Nazismo.

Irena Sendler, então uma garota polonesa, ficou conhecida como a mãe das crianças do holocausto, foi posta no centro da brutal história do século XX quando sua Varsóvia natal foi ocupada pelo exército nazista, e os judeus da cidade enclausurados no famoso gueto. O que ela fez em seguida, quando as forças de ocupação passaram a transportar os judeus para a morte, foi organizar e liderar um grupo de voluntários poloneses que, dia a dia, com o risco da própria vida, esquivando-se entre as forças nazistas, arrancaram das garras da morte mais de 2 mil crianças judias.

Por que fez isso? Enquanto tantos se omitiram? Como o fez, quando tantos julgaram impossível?
Assim como ela, tiveram outros personagens. Perguntados na pesquisa sobre se sentiram medo, todos responderam que sim! Mas por que correram este risco? Responderam que não podiam ficar quietos vendo a tal violência contra as outras pessoas.

Depois desse período, o Governo Alemão e outros, decidiram fazer uma oferta financeira como forma de tentar reparar o feito, e ser, um recomeço na vida destes heróis, mas todos se recusaram a receber este dinheiro!
Altruísmo você nunca faz algo esperando algo em troca.

O Altruísmo e a Compaixão é nossa condição de existência e sobrevivência. Isso moveu Irene e os outros.
Se chegamos até aqui foi por que de algum modo houve altruísmo, compaixão, cooperação. Isto é nosso, faz parte de nós como seres humanos e mamíferos.

Há um tempo atrás eu achava que eu era movido por inspiração, motivação, desafios e mudanças. Sim, fiz grandes coisas e errei em muitas também, não por maldade, mas por ignorância.
Hoje eu vejo que eu estava enganado. Não é a motivação, inspiração tampouco mudanças, são os significados. Eu preciso de significados! Significados olhando o grande plano macro da vida!
A vida como um plano de vida, material, espiritual, pós morte, existêncial…
Também sei que muitos precisam do significado genuíno mas ainda não floresceram.

Decidi me afastar das coisas sem significados, mas fazer disso, a mensagem a se passar. Para onde caminhamos?
Escolhi o empreendedorismo não como negócio, mas como, o instrumento (meio) de se chegar até as pessoas na finalidade do Altruísmo, não ignorando as etapas da vida. Hoje compartilho meus conhecimentos por este canal (blog) e futuramente pela atividade empresarial. Mas como, se a empresa visa o lucro?
Visa o lucro para os que querem visar o lucro como o fim.
O lucro é uma obrigação para mantê-la viva, mas o lucro não é o fim, é o meio de se financiar para impactar algo. Este algo cabe a cada um decidir, o que queres impactar como cidadãos do mundo?

“Precisamos de uma nova consciência, precisamos de um novo coração.” Dadi Janki

Só o amor que pode vencer o mal!

Compartilhe