A armadilha da mudança! É o estado mental que tem que mudar…

Hoje eu li uma matéria legal sobre o glamour do Vale do Silício onde as grandes empresas nascem de dentro de garagens e depois faturam milhões.
Esta é uma armadilha de percepção. Muitas empresas como o próprio Google não nasceram dentro da “dureza” como se imaginam. Quando o Google foi para a garagem, já tinha sido criada há 2 anos atrás e recebido um aporte na casa dos milhões.

“Ninguém quer ouvir a história dos rapazes ricos que se reúnem no Marriott para idealizar um plano de negócios. Isso não é tão romântico como a ideia dos iluminados se desenvolvendo do nada.” Dan Heath, escritor especializado em cultura empresarial

Pouco importa se é na garagem ou no Marriott. Aonde está a diferença não é no ambiente ou nas condições, mas nas pessoas. Nível Mental.

“No Vale do Silício, a garagem é um estado mental. É a rejeição do ‘statu quo’. É afirmar: ‘Não preciso de dezenas de engenheiros com mestrado para fazer frente à concorrência.” Guy Kawasaki, escritor no Vale do Silício

Você que está imaginando abrir um negócio ou está desenvolvendo, nunca pensou ou foi alertado por alguém:
“A Multinacional vai te engolir…”
“Não temos como competir…”
“Não temos dinheiro…”

Aí está a diferença para o Vale do Silício e regiões de ecossistema empreendedor próspero, a pergunta é o inverso:
“Como faço pra quebrar aquela empresa grande?”
“Como faço pra competir de igual com menos?”
“Como faço pra detonar sem dinheiro?”

Pode ter certeza que a solução vai e tem que sair por meio da criatividade para responder essa pergunta.
É o que eles fazem!

Recebi uma mentoria de um grande médico em SP sobre meu negócio e as indagações dele foram as mesmas acima:
“Já tem um monte de empresas no mercado. Competir com estes caras grandes não tem como. Melhor ser revendedor do que criador.”

É culpa dele? Não. Nossa cultura, nosso estado quo brasileiro ainda é assim, pessimista, submisso, travado…
É muito importante para quem vai trabalhar em uma empresa entender a cultura do dono.
Em caso de empresas de capital aberto, o “dono” pode ser o CEO. Entendendo a cultura e a maneira como ele pensa e age vai entender a empresa e a forma como ela caminha.

Você pode colocar o maior CRM na sua empresa, contratar o melhor palestrante motivacional, criar o melhor ambiente decorado possível, dar um vale refeição de R$ 50,00/dia, colocar os melhores MBA´s na equipe que se o STATUS QUO do ambiente for fechado, não arrojado, não encorajado, não tolerável ao erro, não criativo, não interativo, etc… nada vai mudar.

Terá apenas um ambiente hierárquico, processual e medíocre.
São as pessoas que realizam e fazem a diferença. Tem pessoas que não tem ou não estão preparadas para este tipo de status quo, neste caso ou é melhor não tê-las na empresa ou tentar desenvolvê-las medindo que se não atingirem este “NIRVANA” é melhor não fazer parte desta viagem sideral da equipe, pois só irão atrapalhar.

Quando vejo startuper, micro e pequeno empresário, micro empreendedor individual vangloriando empresários ricos que detém monopólios, proteção do governo, ditam o mercado, fico puto com esta ignorância empreendedora.
Este pequeno, micro, nunca terá espaço por causa desse cenário controlado, ao menos que, ele pense e aja como no Vale.

Fica a dica pra você ai empreendedor batedor de palmas pra monopolizadores só por causa da conta bancária e suposto prestígio social. Você é empreendedor ou um saco de pancadas?

Compartilhe