O Elevator Pitch para fornecedores. Não é só para investidores?

Geralmente as pessoas quando empreendem suas start-ups estão ligadas na grande parte em software e tecnologias digitais sem dependência de cadeias produtivas.
Mas e quando você parte para uma inovação que necessite de uma cadeia de fornecedores como por exemplo, biotecnologia, fármacos, alimentos funcionais, para testar uma hipótese, a facilidade é a mesma?
90% não.

Testar uma hipótese significa, lançar uma pequena amostra e mensurar a reação do público-alvo, para confirmar a ideia. A partir daí, até ganhar escala.
Se um fornecedor não entender e saber o que é uma start-up, ele te julgará como uma pequena ou micro-empresa (modelos tradicionais) e a área comercial te avaliará conforme este padrão e você terá 90% de chance de não ser atendido pelo baixo volume. Este fornecedor vai pensar: Quanto ganharei nesta venda? Só isso? Baita trabalho grande, prefiro atender a multinacional.
Se ele souber o que é uma start-up irá pensar: Qual o modelo do negócio? Escalável quanto? Tamanho da oportunidade? Vale a pena investirmos nela? Se sim, qual o melhor preço garanto a ele até escalar?

Viram a diferença?
Hoje as cadeias produtivas não estão preparadas, ou melhor, não tem conhecimento sobre o universo das start-ups.
Assim, podemos considerar também grande parte de advogados, contadores, meios logísticos, e etc…
Se o ecossistema desconhece esse universo, a velocidade de negócios será lenta.

Umas das diferenças do Sillicon Valley é a velocidade com que fazem negócios. Não é só investimento anjo, seed que é rápido, a cadeia de fornecedores é rápida por conhecerem o universo.

Se você está neste caminho, infelizmente não poderá agir como se o fornecedor soubesse o que é isso!
Assim como prepara seu pitch para o investidor, terá que fazer o pitch para os fornecedores até nosso ambiente de negócios estar totalmente treinado e educado para isso.

Não desista com o não do fornecedor! A estratégia é convencê-lo sobre o modelo do seu negócio e não o plano de negócio.
Convença o Dono, o Diretor, o Gerente. Faz parte da vida do empreendedor formar uma cadeia de “investidores”, seja capital, seja como fornecedores.

Fica esta dica!

Compartilhe